Juara

01/12/2016 07:05 Rádio Tucunaré

85% das pessoas não aterram os eletrodomésticos, alerta engenheiro elétrico de Juara.

O início da temporada chuvosa começou e além dos ventos que destroem as edificações os raios incidem sobre a zona rural e urbana trazendo prejuízos e riscos. Para alertar a população, a reportagem da Rádio Tucunaré entrevistou o engenheiro elétrico Wirlisbeste  Salvador Cavallari, para explicar como se proteger e o que fazer para evitar danos causados pelos raios.

O engenheiro Elétrico que atua em Juara Wirlisbeste, disse que a norma que restabelece sistema de carga atmosférica existe a algum tempo e o valor para instalar nos prédios fica oneroso, porém é necessário.  

Para fazer o aterramento para proteger só equipamentos de uma empresa pode ser feito numa malha única e eu espero que isso um dia aconteça, explicou o engenheiro.

A concessionária de energia de Juara possui um sistema de aterro e se cair um raio, dissipará nessa malha, que é razoavelmente boa, onde que chega 3,5 ohms, disse. No passado, quando não havia asfalto em Juara essas malhas sofreram danos com as patrol e deveriam ser restauradas, pontuou Wirli.

 Na zona rural Salvador cita que é mais complicado, porque existem os galpões de máquinas, torre de comunicação de celular e por isso é preciso ter o SPDA- Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas, para proteger a todos na propriedade contra raios.
 
O gado está sujeito a sofrer os danos e, portanto, é certo que a cada 500 metros deve-se fazer a secção e aterrar as cercas, mas isso tem um custo, explicou. Ocorre que as propriedades que possuem energia elétrica ligada não precisam fazer, porque nessa rede possui o aterro.
 
Na zona urbana, quando começa a chover, a atitude correta é entrar numa edificação, porque é mais seguro que ficar no relento.
 
Para citar um exemplo de dano, Salvador contou sobre o raio que atingiu o prédio da TV local, danificando bastante instrumentos da emissora e na rádio que opera no mesmo prédio. Tecnicamente estariam corretos, mas dependendo do lado que vem o raio, o local mais alto e próximo é atingido, por isso, em qualquer situação, quem for o ponto mais alto, qualquer um está sujeito a ser o alvo do raio, alertou.

Interior de veículo
 
Dentro do veículo é seguro ficar num momento de chuva com raios porque a energia caminhará por fora e não pôr dentro nas latarias e no prédio segue o mesmo raciocínio, por conta dos ferros que existem numa edificação de alvenaria.

Uso de celular

Com relação ao uso do celular, não há notícia de raios, mas no telefone fixo, o raio pode vir pelo fio e não se sabe das condições do aterro, lembrou o engenheiro.

Motociclistas

Um condutor de motocicleta não tem a mesma condição de proteção de um condutor dentro de um carro, mas é muito raro acontecer de um raio atingir um motociclista.

No descampado

Num caso de descampado, onde a pessoa é o ponto mais alto, caso tenha um trator próximo, entre e espere a chuva passar, mas se nunca deve ir para debaixo de um arvore, porque a resistência dela é alta e os galhos podem cair e matar uma pessoa.Na cidade é raro porque, existem pontos mais altos e para-raios, disse Wirli.

O engenheiro citou ainda, que não existe regras fixas, mas existe como limitar as ações do raio para evitar danos ao ser humano.
As prefeituras foram notificadas a implantar o SPDA em todos os pontos de aglomeração e em Juara e a partir de 100 metros de construção, seja cartórios, UPAs, bancos, enfim, todos terão que se adequar e será dado um prazo, informou Wirlisbeste.

Em Juara a sede do clube “Viva a Vida”, Estancia Beira Rio e outros locais estão preparados. A norma a NBR-5419 que mostra como calcula riscos para que dentro dos prédios, sítios e outros sejam protegidos e isso todos devem ter em seus prédios que possuem movimento de pessoas.

Salvador acredita que com a evolução esses problemas com raios sejam minimizados.
Os prejuízos com raios beiram 15 bilhões de reais de prejuízos em danos de equipamentos diversos em todo país citou Salvador, principalmente nas linhas de transmissão e telefonia.

Para encerrar, Salvador pontuou que os riscos elétricos vão além dos raios e que dentro de casa a eletrificação da casa precisa de atenção. Ele citou que atrás da geladeira por exemplo, existe um fio verde e que deve ser aterrado.

O ar condicionado de janela, pode dar descarga elétrica, chuveiros elétricos ou outro eletrodoméstico precisam ser aterrados para evitar surpresas. “ 85% das casas não vai ter aterramento do chuveiro, , do freezer, da máquina de lavar roupa... centrífuga e o fiozinho está lá amarradinho e ninguém coloca ele na tomada de três pinos”, finalizou.


Rádio Tucunaré

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Cadernos

Sobre

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo