Conselho tutelar registrou vários casos de adolescentes que fugiram de suas residências

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Nos últimos dois meses pelo menos 06 casos de adolescentes que fugiram de suas residências foram registrados no Conselho Tutelar de Juara, e os fatos ocorreram em Juara e em alguns municípios do Vale do Arinos, o que foi considerado preocupante pelos conselheiros tutelares de Juara.

O Conselho, assim que recebe a denuncia e toma conhecimento dos fatos faz as devidas orientações aos pais ou responsáveis no sentido descobrir as causas que levam esses adolescentes a deixarem suas residências, visto que isso não é um caso normal, e pode estar atrelado a diversos fatores, entre eles, o momento da pandemia causada pelo novo coronavirus (Covid 19).

A conselheira Gessy Bruning explica que, na maioria das vezes, os jovens acabam se rebelando por não tem uma boa convivência durante o grande espaço de tempo que passam em suas casas com seus familiares, gerando conflitos, e desta forma, muitos pais acabam não sabendo lidar com essa situação.

Diante dos acontecimentos, os adolescentes envolvidos nessa situação são encaminhados aos órgãos competentes como Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) onde passam por atendimentos psicológicos, e da mesma forma são assistidos pelo Centro de Referencia e Assistência Social (CRAS), Ministério Público que fazem todos os demais procedimentos.

A família também recebe acompanhamento psicológico, caso necessita para ajudar a compreender e lidar com a situação.

A conselheira Gessy frisou ainda que é importante que os pais se dediquem mais a seus filhos, embora entenda que todos tenham seus afazeres, mas um pouco de atenção aos filhos para acompanhar o cotidiano é extremamente importante para evitar essas causas no seio familiar.

Gessy finaliza dizendo que o melhor remédio é evitar os acontecimentos para não causar danos maiores a família e ressalta que se os pais percebam que não estão sabendo lidar com a situação, que procure o Conselho Tutelar e um atendimento psicológico. Em todos os casos que ocorreram, os adolescentes foram reconduzidos a seus lares novamente e estão recebendo os devidos acompanhamentos.

Ouça na íntegra a entrevista da conselheira Gessy Bruning:

A psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Dra Renata Meira da Silva disse que os casos têm chegado até o órgão e explica como lida com essa situação. Ela disse que são feitas visitas domiciliares e todo atendimento necessário com esses adolescentes para saber a causa em que levou ele (a) a cometer tal ato de abandonar o lar e sair sem destino.

Segundo ela, são vários casos que tem chegado até o Centro de Referência Especializado de Assistência Social e que vem sendo trabalhado com os atendimentos psicológicos.

Ouça aqui a entrevista da Dra Renata Meira da Silva:

Fonte: radiotucunare/acessenoticias

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️