221 municípios de Mato Grosso estão entre os que mais registraram crimes contra mulheres, entre eles, Juara e Novo Horizonte do Norte

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Foto divulgação: Rede Globo

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), Juara e Novo Horizonte do Norte na região do Vale do Arinos estão entre os municípios de Mato Grosso que apareceram na lista como os que mais registraram crimes contra as mulheres até o corrente mês do ano de 2021.

Entre esses dados, o que chamou a atenção é o aumento considerável de mulheres em envolvimento com facções criminosas.

O número de feminicídios registrados em Mato Grosso diminuiu 14% entre janeiro a abril de 2021, em comparação com o mesmo período de 2020, sendo registrados 18 e 21 casos, respectivamente.

Em contrapartida, os registros de homicídios dolosos contra vítimas femininas aumentaram 78%, sendo 16 casos este ano, contra 9 no ano anterior.

Os dados divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) foram tabulados pela Superintendência do Observatório de Segurança Pública, vinculada à Adjunta de Inteligência.

No total, houve 34 mortes de mulheres no estado, nos quatro primeiros meses de 2021. Já nos mesmos períodos de cada um dos dois anos anteriores, foram registrados 31 casos.

Deste total, em 29% dos crimes os autores utilizaram arma cortante ou perfurante; 24% arma de fogo; 26% usaram outros meios; força muscular e arma contundente foram empregados, cada um, em 9% dos casos; e 3% utilizaram um veículo automotor.

Quanto às motivações, a maioria (38%) continua sendo passional, seguido de 23% de casos a apurar. A rixa foi identificada em 15% das mortes, motivo fútil em 9% e 6% por envolvimento com drogas. Responsáveis por 3% estão (cada uma) as seguintes motivações: ambição, embriaguez no trânsito e envolvimento com facção criminosa.

Esta última condição foi incluída nos levantamentos de vítimas femininas em janeiro deste ano, conforme explica a superintendente do Observatório de Segurança Pública da Sesp-MT, Tatiana Eloá Pilger.

“Temos percebido, nos últimos anos, um aumento do envolvimento de mulheres com organizações criminosas. Como consequência disso, têm sido registradas mortes em função desse envolvimento, algumas vezes por participarem de fato de uma facção e outras vezes por se relacionarem com membros de facção, e acabam também sendo vítimas. Achamos esse fato muito relevante, então a partir de janeiro deste ano, passamos a acompanhar”.

Nos municípios

Rondonópolis foi o município com maior número de homicídios dolosos de mulheres (05), sendo seguido por Sinop e Várzea Grande, cada um com três casos. Guarantã do Norte, Ribeirão Cascalheira e Lucas do Rio Verde apresentaram duas mortes cada.

A capital de Mato Grosso, Cuiabá, teve um registro, assim como os seguintes municípios: Juruena, Barra do Garças, Colíder, Brasnorte, Juara, São José do Rio Claro, Campo Verde, São José dos Quatro Marcos, Sorriso, Novo Horizonte do Norte, Nobres, Santo Antônio de Leverger, Nova Mutum, Cláudia, Porto Esperidião e Querência.

Fonte: daredação/Radiotucunare/acessenoticias/Sesp-MT

Com muito ❤ por go7.site