Alta no preço do petróleo e impactos no custo de produção da pecuária

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Scot Consultoria

Nesse cenário, os membros da OPEP (excluindo Rússia e Cazaquistão) traçaram estratégias de corte na produção, com a finalidade de reequilibrar o mercado e ajustar os estoques da commodity. A estratégia deu certo e os preços estão subindo. O óleo WTI está acima de US$60,00 o barril e o Brent próximo dos US$70,00.

A expectativa é de que a alta continue, com estoques menores e retomada gradual no consumo de combustíveis.

Desde novembro/20, as cotações subiram 42,9% (figura 1).

Figura 1. Preços médios mensais, em dólares, do barril do petróleo (Brent).

cpp-sc-tab

Fonte: Indexmundi / Scot Consultoria

Relação de troca diesel x boi gordo

Acompanhando a alta nos preços internacionais, a Petrobras anunciou que, a partir de 9 de março, haveria aumento de preço nas refinarias, do diesel, em 5,5%, e da gasolina, em cerca de 9,0%.

Tratores agrícolas consomem, em média, de 15 a 20 litros de óleo diesel por hora, dependendo do maquinário e operação.

Os preços firmes no mercado do boi gordo sustentavam a relação de troca para o pecuarista frente ao combustível, mas, em março, com os ajustes no preço do diesel, o poder de compra caiu na comparação feita mês a mês.

Em fevereiro, uma arroba de boi gordo comprava 76,40 litros de óleo diesel. No mês presente (março), uma arroba de boi gordo compra cerca de 69,30 litros do combustível (figura 2), queda de 9,3% na relação de troca.

Figura 2. Preço do óleo diesel em R$/litro (eixo da direita) e relação de troca entre arroba de boi gordo e o combustível em São Paulo (eixo da esquerda).

cpp-sc-tab-1

*parcial até 18/3
Fonte: Scot Consultoria

A alta nos preços do petróleo e do óleo diesel desde o começo do ano, frente aos aumentos mais brandos da cotação da arroba boi gordo no período, explicam a queda do poder de compra.

Considerações finais

O preço do petróleo impacta diretamente no preço do diesel, portanto, é importante monitorar também esse mercado, que está com viés de alta com prováveis aumentos no diesel e gasolina ao longo do ano.

Mesmo que os combustíveis tenham pouca relevância nos custos de produção pecuários, comparativamente com a agricultura, em um cenário de alta geral de custos, esses reajustes podem fazer diferença no resultado do pecuarista.

Fonte: Scot Consultoria