Aterro feito pela Empreiteira que realiza construção da ponte sobre rio Alcebíades causa alagamento em propriedade de Juara. Veja Vídeo e fotos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Na manhã desse dia 09 de novembro, a Engenheira Civil Enna Figueira, proprietária do Centro de Eventos Figueira, que fica as margens do rio Alcebíades, compareceu na redação da Rádio Tucunaré afim de denunciar um situação que está causando prejuízos em sua propriedade.

Segundo Enna, sobre a obra da ponte sobre esse rio “ela deveria ter sido melhor planejada pela empresa e pelo engenheiro encarregado da obra, para não causar nenhum transtorno para toda a vizinhança e para outras empresas”, disse.

As águas das chuvas, dos bairros Porto Seguro, Bandeirantes, Parte do Jardim América, Jardim Floresta, são drenadas para esse rio, onde a propriedade está construída. Nessa madrugada choveu mais de 100 mm, causando estragos em toda parte.

Na opinião da engenheira, faltou um estudo  adequado, com  plano pluviométrico hidrográfico da bacia, que caí nesse rio, que vai passar por essa ponte. “Eu tenho certeza disso, porque eu tenho um estudo feito pra minha chácara e não era pra acontecer o que está acontecendo, porque nós temos mais de 86 ha de lâmina de água, que da vasão nessa ponte. Daí e o que choveu, agora não condiz com o que está acontecendo! O meu empreendimento não tinha que estar na situação que está. Fui saber e verificar o motivo, do porquê, que está entrando água a uma velocidade que é anormal, fui lá e constatei, que a ponte, porém foi feito um aterro, acredito eu, não de forma e com pensamento de maldade, alguma coisa assim, mas não foi uma forma profissional da parte da engenharia (da empresa) e não podia nunca ter sido feito um aterro para desvio. Tinha que ter sido feito uma ponte elevada para poder não causar um transtorno, que está sendo feito lá em cima a água está subindo absurdamente pro meu empreendimento, então eu preciso que se tome uma medida urgente, … porque o meu prejuízo e o dos outros, que estão na beira do rio, vai ser muito grande! Eu queria que, por favor, quem tenha essa atitude imediata, porque eu já conversei com várias pessoas e não estou conseguindo resposta“, disse.

Enna conta que por volta das 4h30 da madrugada percebendo a intensidade das chuvas, foi ao local na chácara e viu que o rio estava subindo bastante, porém não era de se alarmar, mas por volta das 7h00 da manhã, voltou e notou que tinha subido, mais ainda dava de conter, “porque eu tenho um aterro de contenção para evitar que o rio transborde. Minha propriedade tem um aterro seguindo o percurso do rio, justamente pra evitar esse avanço do rio na minha propriedade, porém com o represamento que está acontecendo, o Rio está voltando e está entrando, …não tem nenhuma parte de prevenção contra esse problema e está subindo toda água no meu empreendimento. Todo estacionamento, a metade dele já está alagado está e continua subindo rapidamente, por isso que eu peço, por favor a pessoa responsável, tem que tomar uma atitude da empresa o engenheiro responsável tem que fazer alguma coisa, que não foi feita antes de começar a obra, estudar certo para antes de realizar um aterro daquele jeito”, disse.

Quanto aos vizinhos Enna não soube informar se houve algum prejuízo, mas ela tem um alto investimento no local e “com certeza que eu vou querer alguma coisa de indenização futuramente”, encerrou.

Com muito ❤ por go7.site