Autor e propagadores de áudio Fake News contra candidato são alvo da Polícia Civil de Juara

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Um Boletim de Ocorrência registrado pela Coligação “Juara em boas mãos” visa apontar todos os envolvidos na confecção e disseminação de áudio calunioso, ou seja, fake News, que tem como objetivo prejudicar a campanha do candidato Carlos Sirena. Dois nomes já foram apontados.

A Advogada  Patrícia Quessada Milan,  da Coligação “Juara em boas mãos” que tem Carlos Sirena e Ney da farmácia como candidatos majoritários, concedeu entrevista à rádio Tucunaré e site Acesse Notícias, para explicar um boletim de ocorrências registrados no dia 26 na Polícia Civil.

Leia aqui o Boletim de Ocorrências: Boletim de Ocorrências

De acordo com informações da advogada, em grupos de WhatsApp, um áudio estava circulando de maneira intensa, pois essas pessoas estão repassando para outras, dizendo que o candidato Carlos Sirena, em troca de apoio político, estaria pedindo dinheiro para os empresários e que ele pagaria esses valores em trocas de serviços, ou seja, estaria negociando a máquina pública em troca de apoio financeiro.

Assim que advogada Patrícia teve acesso ao áudio e os prints das telas de vários celulares, decidiram registrar um boletim de ocorrência, onde que a polícia apure a origem desse áudio, “pois é uma acusação muito séria”, disse.

“Disseminar notícias falsas configura crime contra honra e o código eleitoral prevê, que compra de votos também é crime, assim como a lei das eleições e dessa forma, imputando um crime ao candidato Carlos Sirena e que, até prove em contrário, isso é uma grande mentira”, disse Quessada.

O boletim foi lavrado contra duas pessoas e o delegado já está de posse das provas, e agora a investigação deve apurar quem gravou esse áudio e terá que provar o que o fato aconteceu e o jurídico tomara todas as medidas cabíveis contra quem estiver envolvido na confecção e na disseminação desse material calunioso, explicou Patrícia.

Esse tipo de crime causa um prejuízo muito grande, pois quem não conhece o candidato ou pessoas que moram estão longe do município e por isso, muitos podem ser convencidos a acreditar numa mentira e nós sabemos que isso foi criado, para causar prejuízos para o candidato, afim de tirar votos do candidato e denegrir a sua imagem como pessoa perante a população, pontuou.

Patrícia recomenda à população que tenha muito cuidado com aquilo que escuta com aquilo, com o que produz e que também com o que reproduz. Nem tudo aquilo que é falado é verdade e por isso é preciso ter cuidado, frisou.

Uma vez comprovado quem gravou o áudio, se essa pessoa não provar o que falou, ela será responsabilizada, assim como todos os que reproduziram a notícia falsa também serão responsabilizados, orientou a advogada.

Agora é aguardar a ação da polícia na investigação e que seja feita a justiça, concluiu.

Ouça a entrevista completa concedida a Rádio Tucunaré:

Fonte: Rádio Tucunaré e Acesse Notícias

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️