Brasil criou 260 mil vagas com carteira assinada no mês de janeiro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Estoque de vagas formais no Brasil é de 39.623.321 MARCOS SANTOS/USP IMAGENS

O Brasil criou 260.353 postos de trabalho com carteira assinada no mês de janeiro, segundo dados divulgados nesta terça-feira (16), pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia.

O melhor resultado para o mês de janeiro da série história, iniciada em 2020, fruto de 1.527.083 admissões e 1.266.730 demissões contabilizadas no período.

Com as contratações maiores do que as demissões, o estoque de empregos no Brasil é de 39.623.321 postos formais, o maior saldo para o mês desde janeiro de 2015 (39.623.321).

Para 40%, combate ao desemprego deve ser prioridade do governo

De acordo com o Ministério da Saúde, o resultado “mostra que o país continuou com a recuperação econômica após o pico de casos de covid-19 de 2020, que fechou parte das atividades econômicas”.

Os dados positivos do Caged surgem no mesmo momento em que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra o avanço do desemprego para 13,9% da população, o maior percentual da série iniciada em 2012. A diferença de metodologia e dos grupos analisados pelas pesquisas ajudam a justificar a disparidade entre os indicadores.

Em janeiro, todos setores da economia tiveram mais contratações do que demissões, com destaque para a indústria, que gerou 90.431 novos postos de trabalho formais. Na sequência, aparecem os serviços (+83.686 postos), a construção (+43.498) e o comércio (+16.636).

O salário médio de admissão em janeiro foi de R$ 1.760,14, valor que corresponde a um aumento real de R$ 20,06 (+1,15%) na comparação com o mês anterior.

Fonte: R7