Colheita de soja do Brasil avança para 53,3% da área estimada e diminui defasagem para a média normal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Datagro

Levantamento da Consultoria DATAGRO mostra intenso avanço da colheita da soja brasileira safra 2020/21 na semana encerrada em 12 de março. Na média nacional, o País colheu 53,3% da área estimada para esta temporada, avanço de 12,8% sobre os 40,5% da semana anterior; na média dos últimos 5 anos, o avanço normal para esse período seria de 9,6%. O fluxo segue muito abaixo dos 63,5% de 2020 e um pouco aquém dos 56,8% da média dos últimos 5 anos.

Embora ainda atrasada, o bom desenvolvimento da colheita da oleaginosa no Brasil nos últimos dias diminuiu a defasagem para a média normal, que chegou a ser de 13,3%; agora está em 3,5%.

Clima mais seco na região Centro-Sul favoreceu a colheita, com episódios de chuva beneficiando as lavouras tardias. Precipitações voltaram a ser regulares em boa parte do Centro-Norte, mas com janelas de clima favoráveis aos trabalhos. “Seguimos com problemas localizados pelo excesso de chuvas, especialmente no Mato Grosso (MT), com perdas de qualidade e até alguma perda de área, o que deve trazer algum ajuste no próximo levantamento de safra. Mas, no geral, as condições seguem satisfatórias na maior parte do País e deveremos confirmar outra safra cheia e recorde”, destaca o coordenador de Grãos da DATAGRO, Flávio Roberto de França Junior.

A previsão para esta nova semana aponta a combinação de chuvas e tempo seco em praticamente toda a região produtora, o que deve favorecer os trabalhos de colheita e semeadura, e resultar em outro bom avanço na semana encerrada em 19 de março.

Colheita do milho de verão safra 2020/21

No milho de verão, a colheita também avançou bem, devido ao clima mais favorável no Centro-Sul do país, mantendo-se em ritmo bem acima da média, com 57,1% da área colhida, contra 49,2% na semana passada, dos 54,7% de 2020 e dos 45,8% da média de 5 anos, puxada pela colheita de 68% no Paraná (PR), 66% em Santa Catarina (SC) e 63% no Rio Grande do Sul (RS). As perdas de produção ficaram mesmo limitadas ao RS e SC por falta de chuvas entre setembro e novembro.

Plantio milho de inverno 2021

A região Centro-Sul do Brasil também apresentou forte avanço nos trabalhos de semeadura do milho de inverno, embora ainda com plantio bem atrasado sobre a média normal. Levantamento da DATAGRO mostra que 77,4% da área projetada foi semeada até 12 de março, contra 57,5% da semana anterior. O fluxo está bem atrás dos 90,4% de 2020 e dos 86,1% da média de 5 anos. Trabalhos chegando a 89% no Mato Grosso (MT) e 70% no Paraná (PR). “Acreditamos que os produtores tentarão plantar boa parte da área planejada, mesmo fora da janela de recomendação técnica, o que aumenta o risco de perdas para a safra, caso as chuvas de abril não sejam regulares. No entanto, deveremos ter corte na área efetivamente semeada em relação às estimativas anteriores. A previsão para março segue chuvosa, mas com diminuição das chuvas em abril”, ressalta França Junior.

Fonte: DATAGRO