CONAB vê recorde na produção e exportação de açúcar do Brasil em 2020/21

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Faltando algumas semanas para o encerramento da safra 2020/21 (abril-março) de cana-de-açúcar no Brasil, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima uma produção recorde de açúcar de 41,84 milhões de toneladas no país, mais de 40% acima de 2019/20, e exportações também em níveis nunca vistos.

Antes mesmo do final da safra, os números dos embarques de açúcar pelo país já são absolutamente recordes, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, com acumulado entre abril de 2020 e janeiro de 2021 em 28,43 milhões de t, sobre 18,95 milhões de t em toda a temporada 2019/20.

“Esse cenário positivo para a temporada já era esperado pelo mercado, pois acompanha uma conjuntura do ano de 2020, marcado pela demanda de etanol impactada pela pandemia no primeiro semestre, fazendo com que as usinas elevassem a produção de açúcar, com preços internacionais mais fortes”, afirma Fábio Silva Costa, analista de mercado da Conab.

O preço médio do açúcar na Bolsa de Nova Iorque apresentou aumento de 8,5% em janeiro na comparação com o mês anterior. Desde 2017, não eram observadas cotações neste patamar de preços no terminal externo.

O terceiro levantamento de safra 2020/21 da Conab estima um aumento de cerca de 3,5% na produção de cana-de-açúcar do país sobre a temporada anterior, com um crescimento de 1,9% na área cultivada e de 1,5% na produtividade dos canaviais. O quarto levantamento da safra de cana do país será reportado pela Conab no final de abril.

Para a próxima safra, as perspectivas do mercado do açúcar e etanol também são positivas. “Já temos fundamentos bastante positivos para 2021/22, com taxa de câmbio favorável para exportação coincidindo com o cenário de bons preços. Isso deve continuar mantendo as exportações elevadas”, destaca Costa.

ETANOL

A produção total de etanol na safra 2020/21 do Brasil é estimada pela Conab em 32,85 milhões de t (22,37 milhões de t de hidratado e 10,48 milhões de t de anidro), uma queda de cerca de 8% ante a temporada anterior.

“A safra 2020/21 está sendo marcada pela expressiva elevação de 55,5% na exportação de etanol e pela redução de 61,4% na importação do biocombustível, contribuindo para a ampliação do superávit em relação à temporada anterior”, destaca a Conab.

Fonte: CONAB