Covid-19: Ivermectina não tem evidência de eficácia, diz fabricante. RETIFICADA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A matéria original foi replicada do site R7 e o fabricante da Ivermectina para uso em humanos VITAMEDIC INDÚSTRIA FARMACÊUTICA,  solicitou a emissora Rádio Tucunaré, resposta para as declarações contidas na matéria em tela. leia a nota 

“A VITAMEDIC INDÚSTRIA FARMACÊUTICA, produtora da Ivermectina no Brasil, esclarece que a declaração do grupo farmacêutico MERCK- MSD sobre a eficácia do medicamento Ivermectina no tratamento da COVID-19, reflete sua opinião isolada sobre o assunto. A empresa MERCK MSD não é produtora de Ivermectina para humanos no Brasil. Desconhece-se qualquer estudo pré-clínico que essa empresa tenha realizado para sustentar suas afirmações quanto a ação terapêutica no contexto da pandemia do COVID-19. Contrariamente ao que diz a empresa MERCK, existem evidências médicas e científicas ao redor do mundo demonstrando a ação antiviral do medicamento. Dezenas de estudos feitos em diversos países demonstram os benefícios do medicamento especialmente nas fases iniciais da doença e, por essa razão, a comunidade médica internacional e também do Brasil passou a inclui-la nos protocolos de tratamento da COVID19. Trata-se de um medicamento de baixo custo e de reduzido impacto de efeitos adversos.”

Declarações  que foram contestadas :

“Não há evidências de eficácia da ivermectina contra a covid-19, segundo um comunicado oficial da Merck, fabricante do medicamento, divulgado na quinta-feira (4). A Merck ressalta que os  cientistas da empresa estão “examinando cuidadosamente as descobertas dos estudos disponíveis para o tratamento da doença”.

“É importante observar que, até o momento, nossa análise não identificou nenhuma base científica para um efeito terapêutico potencial contra a covid-19, nenhuma evidência significativa para atividade clínica ou eficácia clínica em pacientes com a doença, além da preocupante falta de dados de segurança na maioria dos estudos”, afirma.

 

Fonte: R7

Com muito ❤ por go7.site