Crise passa longe do agro, e valor real da produção sobe 10% no ano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O produtor rural vive um de seus melhores momentos. Safra recorde, câmbio extremamente favorável às exportações, demanda externa aquecida e preços elevados, tanto interna como externamente.

Tudo isso resulta em um VBP (Valor Bruto da Produção) de R$ 742 bilhões da agropecuária neste ano, um patamar jamais atingido e que registra uma alta de 10% em relação a 2019. Essa evolução é real, já descontada a inflação medida pelo IGP-DI da FGV.

Os bons momentos deste ano não são isolados. A evolução real do VBP, o que concretiza renda para o produtor dentro da porteira, é de 51% nos últimos dez anos. Ou seja, um aumento real de 4,2% ao ano. Esses números não consideram evolução de custos.

2019 foi o ano da pecuária. Este está sendo o das lavouras, que devem registrar valor de produção de R$ 494 bilhões e evolução real de 12%. O VBP da pecuária, após os 8% de crescimento real no ano passado, atinge R$ 249 bilhões neste e aumenta mais 6%.

Os números são previsões do Ministério da Agricultura, que mostra soja e milho como as maiores fontes de rendas na agricultura neste ano.

A soja, com uma colheita recorde de 121 milhões de toneladas, deverá gerar um valor de produção de R$ 182 bilhões. Esse montante de dinheiro supera em 22% o de 2019, já descontada a inflação.

O milho, a segunda maior fonte de renda para o produtor, deverá atingir um VBP de R$ 79 bilhões, 15% mais do que em 2019.

Sendo que os produtores em geral plantam soja na primeira safra e milho na segunda, praticamente serão canalizados R$ 261 bilhões no ano para esses mesmos agricultores.

Mas nem tudo é alegria no campo. As culturas de mandioca, banana, batata, tomate, uva e mamona, produtos geralmente destinados ao mercado interno, vão ter um valor de produção bem inferior ao do ano passado.

Algodão também entra nessa lista, mas o setor vinha em um ritmo crescente. O VBP de R$ 44 bilhões deste ano supera em 681%, em termos reais, o de há dez anos.

Na bovinocultura, o valor da produção sobe para R$ 107 bilhões. A demanda externa mantém esse setor com preços internos aquecidos. O mesmo ocorre com suínos e frango, embora esse último terá um recuo no valor da produção em 2020.

Aqui e lá 

Após o Brasil anunciar recordes de produção de soja e de milho nesta terça-feira (11), hoje foi a vez de os Estados Unidos também apresentarem números bastante elevados.

Milho 

A safra do cereal atingirá o recorde de 388 milhões de toneladas e a de soja, 120 milhões nos EUA. A concorrência com o Brasil aumenta. Eles esperam exportar 58 milhões de toneladas de soja e 57 milhões de milho.

A boa notícia que o Usda (Departamento de Agricultura) traz para o Brasil é que a China vai elevar para 99 milhões de toneladas as importações de soja em 2020/21.

Os números de safra do Usda não contemplam ainda os efeitos da forte tempestade ocorrida em algumas áreas do Meio-Oeste na segunda-feira (10). Iowa, importante na produção de grãos, foi um dos estados mais afetados.

Fonte: Folha de S.Paulo

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️