Cuidados no manejo fisiológico do feijoeiro podem aumentar sua resistência natural

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Com projeções para uma produção de 3,1 milhões de toneladas no acumulado das três safras, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), aponta uma redução de 3,6% frente a safra 2019/20. Para contornar essa previsão de queda, os feijoeiros precisam alcançar maior potencial produtivo nas lavouras e minimizar os efeitos negativos dos estresses hídricos e das temperaturas altas, que podem impactar diretamente na produtividade da cultura. Neste contexto, um manejo fisiológico, com soluções que estimulem a defesa natural da planta se torna essencial.

Um estudo realizado na cidade de Tambaú (SP), pela Alltech Crop Science em parceria com a Aprimora, mostrou que o uso de soluções à base de aminoácidos, polissacarídeos e nutrientes específicos, no manejo fisiológico da planta, possibilitou a melhoria da resistência natural da cultura e, consequentemente, aumentou a produtividade do feijoeiro em 22,8%. Na pesquisa, a testemunha teve um resultado de 34,6 sacas/ha, enquanto a área tratada com soluções naturais para o manejo fisiológico apresentou 42,5 sacas/ha.

“Os aminoácidos, polissacarídeos e nutrientes específicos são uma ferramenta importante, pois permitem o equilíbrio nutricional e hormonal da planta. Além desses benefícios, também deixamos o feijoeiro pré-condicionado, por meio da maximização de nutrientes e da sinalização dos processos fisiológicos, que contribuem significativamente para a maior resistência vegetal aos estresses”, explica o engenheiro agrônomo Guilherme Bavia.

Também foi possível observar outros benefícios no estudo, como uma melhor formação de vagens e enchimento dos grãos. Na área foliar, por exemplo, a planta alcançou um índice quase três vezes maior do que a testemunha. “Para atingir resultados como esse, o produtor de feijoeiro precisa utilizar ferramentas que potencializam o uso de nutrientes da planta e os mecanismos de defesa dela”, diz Bavia.

O profissional explica, ainda, que é preciso aplicar as soluções em fases específicas do feijão: na vegetação, na floração e no momento do aparecimento de vagens. “Podemos comparar a planta com o corpo humano, quanto mais saudável e nutrido, mais tolerante às doenças ela vai estar. Por isso, recomendamos mais de uma aplicação durante as fases do feijão, para que a planta possa relembrar o estímulo fisiológico dela, já que diferente de nós, ela não possui sistema imunológico”, finaliza Guilherme Bavia.

Dica do especialista

Para um cultivo de feijão mais resistente às adversidades climáticas e com melhores resultados de enchimento de grãos e produtividade, o especialista Guilherme Bavia indica o uso do Agro-Mos, desenvolvido pela Alltech Crop Science. O composto, rico em aminoácidos, polissacarídeos, além de nutrientes como cobre, enxofre e zinco, é ideal para uma boa formação vegetativa, além de auxiliar na reparação de estresses.

Fonte: Centro de Comunicação

Com muito ❤ por go7.site