Custos de produção para a suinocultura subiram 1,10% em janeiro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A Embrapa Suínos e Aves divulgou o Índice de Custos de Produção de Suínos (ICPSuíno) referente a janeiro, e os dados mostraram aumento para os inventimentos na atividade, principalmente com a nutrição dos animais. De acordo com o levantamento, em relação a dezembro, houve alta de 1,10% no ICP/Suíno.

O principal quesito que pesa nas contas do suinocultor, a nutrição dos animais, aumentou 1,62% em janeiro no comparativo com dezembro. No acumulado dos últimos 12 meses, houve um avanço de 41,34%. Atualmente, a alimentação dos suínos representa 82,32% do total investido na atividade.

Santa Catarina, o Estado que lidera a produção de suínos no Brasil, os custos, de forma geral, subiram 5,07% em janeiro, em relação à dezembro de 2020, atingindo R$ 6,63/kg. No que diz respeito à alimentação dos suínos, o avanço foi de 1,5%, chegando a R$ 5,43/kg.

Ao estender a comparação entre janeiro deste ano com janeiro de 2020, o aumento dos custos de produção na suinocultura em Santa Catarina foi de 55,26%.

O suinocultor e proprietário de um frigorífico em Santa Catarina, Marcos Antônio Spricigo, apontou que mesmo com certa melhora nos preços pagos ao produtor desde o final de janeiro, a relação de troca com os custos de produção ainda é desfavorável ao suinocultor.

“Os preços de milho e farelo de soja subiram muito além da proporção que o preço do suíno. Este ano de 2021 tem como ponto de atenção os custos de produção, e não deve haver sinal de alívio até, pelo menos, a entrada do milho safrinha no mercado”, disse.

Fonte: SuiSite

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️