Entrevista: Pecuarista revela a aptidão de Juara para integração lavoura-pecuária e exalta produção de milho no município. Veja vídeo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Alcides de Souza Filho, popular Cisão é pecuarista de Juara, e em entrevista exclusiva à reportagem a Rádio Tucunaré e site acesse Notícias, falou  sobre a sua atividade e sobre a integração Lavoura-pecuária no município.

A entrevista em áudio será veiculada na sexta feira (25/06) , no quadro de entrevistas do Jornal “Repórter Tucunaré”.

No final do texto, matéria em vídeo com os produtores de milho e prefeito Carlos Sirena na comunidade da Pedreira em Juara. A matéria em vídeo é da assessoria de imprensa da Prefeitura

Repórter Soan de Barros entrevista  Pecuarista Cisão:

 Na sua análise, a pecuária é tão rentável quanto a agricultura?

Resp: Eu mexo mais com nelore, pelo clima esse clima tropical clima quente, o Nelore uma adaptação muito boa a vacada pare a campo, então a facilidade e se torna mais viável, mas tem gente que faz cruzamento industrial, que também é bom.

Quanto tempo demora para o gado fazer a sua reprodução, para você tem uma Boiada boa?

Resp: Você tem que começar um trabalho genético, e na genética é tudo isso aí, você começa entorando uma novilhada precoce, com bastante qualidade, para você fazer um trabalho de colher um bezerro. Hoje eu tenho que fazer uma desmama acima de 200kg, desmamar com 8 meses e cada vez melhorando mais, com touros todos bons, procurar uma genética de ponta, quem tem que fazer um trabalho muito bem feito. O Brasil cresceu e evoluiu tanto na pecuária, que a gente trabalhava antigamente, de 25 anos atrás, com touro de 600 kg. Hoje os touros são de 1.000 kg a 1.200 kg. Evoluiu demais e foram investindo muito na genética e nossa genética hoje é uma das melhores do mundo.

Confinamento é uma forma rentável ou não aqui para região?

Resp: O confinamento é uma ferramenta a mais que veio. Se você tiver com a Fazenda cheia de gado e você entrar na seca sem pasto, você tem que levar uma Boiada ou a novilhada, que você queira fazer uma engorda, até para você fazer um caixa, às vezes, na época você precisa ele tem compromisso de algum pagamento, porque você sabe que você colocou um boi no confinamento com 90 dias, ele tá pronto, então você tá fazendo aquela colheita na pecuária, colhendo aquelas arroba e fazendo aquele capital de giro para aquela época.

A idade ideal para fazer a comercialização do bovino a partir de que idade ele já pode ser comercializado?

Resp: Hoje com essa genética tão evoluída, eles estão matando hoje , boi de 2 anos ou acima, vários pecuaristas estão abatendo boi de 2 anos com 20 arrobas acima, e às vezes, depende de cada um, as vezes atrasa um pouco mais, dois anos, dois anos e meio, 30 meses ta matando um boi, é nessa faixa aí, pois depende de cada Fazenda. Quando você vai fazer acabamento em confinamento, o giro é mais rápido você pega um boi aí de 380 kg, fecha ele no confinamento e com 90 dias você está matando ele então aí, você pode fechar um pouco mais novo, Inclusive.

A fêmea é mais compensador que o macho para essa questão de comercialização frigorífico?

Resp: O boi dá mais dinheiro pelo volume. A fêmea para frigorífico o gira é mais rápido, onde uma fêmea boa vai pesar 14 a 15 arrobas e até 16 e um boi leva para 22 a 23 arroba, então volume de dinheiro do boi é bem maior. Agora um depende do outro, porque sem a fêmea, não tem o Boi. Você tem que ter a fêmea, você tem que uma vacada de primeira, para fazer uma bezerrada de primeira, para chegar naquela qualidade, de você ter um boi, lá na frente, de qualidade, porque hoje em dia, com os pastos caro, com os produtos minerais todos em alta, se você trabalhar com a genética ruim, aí você vai ter prejuízo no final. Aí vem aquele produtor e fala assim:  ah mas, a pecuária não dá nada! Não! pecuária mal tocada, não dá nada, a lavoura mal tocada não dá nada, qualquer tipo de negócio que você mexer, você for trabalhar, que não for bem tocado, não vai dar rendimento mesmo.

Tivemos desde 2019 uma decadência em vários setores, que com a chegada da pandemia, mas a arroba do boi se mantém hoje um bom patamar  .É compensador?

Resp: A pandemia ela foi para o agronegócio ela foi tudo ao contrário, que tá acontecendo com as empresas, pois as empresas sofreram baque muito grande, muitas fecharam muitas talvez nem vão conseguir abrir. O agronegócio em si todo e falando de pecuária, que eu quero que eu trabalho foi muito positivo, porque o mundo todo precisando de alimento e nem todos os países do mundo não conseguir produzir e o Brasil não parou de produzir nenhum dia, o Brasil continua produzindo aí vieram buscar o nosso produto aqui, né veio os países da Europa, veio a China que é um dos maiores compradores de carne do Brasil e vieram buscar os produtos no Brasil, pela qualidade saneamento. Os pecuaristas brasileiros são muito cuidadosos na parte de tratamento animal. Mato Grosso tem um cuidado seríssimo nisso, então vê todo mundo hoje o Mato Grosso é um dos Estados, que mais exporta para China, por ter esse boi precoce, a questão de produção

Juara é uma terra boa, para produção agrícola e também pecuária, que é o seu ramo?

Resp:  eu andei, já eu sou bem andado, já tive fazenda no Paraná, já tive no Mato Grosso do Sul, tivemos terra em Rondônia e vou falar para você, igual Juara é difícil! Ha pouco tempo, tivemos fazenda em Poconé, outra Fazenda vendi e concentrei meus negócios tudo em Juara. Por que que entrou todo mundo em Juara? Esse “bum” que deu de 23 anos para cá na agricultura, que nós tínhamos terras aqui agricultável, que estava meio esquecida. Não é esquecida, primeiro virem produzindo de lá para cá, que é normal, porque o pecuarista ele vem na frente, vem abrindo as estradas do caminho e aí, a agricultura veio atrás hoje agricultura e entrou com tudo aqui. Ninguém segura mais! Tanto é, que a produção aqui hoje, tem fazendas aqui de agricultura produzido mais soja, do que próprio Sorriso, Lucas então, isso aqui ninguém segura ! Igual Juara, município de Juara, tem clima bom, chuva na época certa, as terras muito boas, isso aqui é o filé das melhores terras do Brasil!

A questão de estrada vocês precisam de estrada para estar transportando o produto de origem animal. Como é que estão as estradas da região do município?

Resp:  O Município é muito grande, então a gente tem que levar isso em consideração, porque nós temos um município extenso, muitas pontes, muitas época da chuva aqui tem que fazer um trabalho muito bem feito de cascalhamento agora na seca, para as estradas suportar o peso, quando lá atrás, era daqueles caminhãozinho no máximo, era um truque né, mas hoje é carreta com 40 a 50 toneladas, então as pontes não tão aguentando, nem  essas pontes de madeira, que tem que virar de concreto ou colocar tubo e as estradas não suporta esse peso, então temos essa dificuldade, inclusive no nossos asfalto aqui, porque nossos asfalto são feito umas “casquinhas de ovo” aí arruma num ano e no outro ano, já estão todos esburacados e isso gera custo: custo para o estado, custo para o produtor, custo para os transportes. Os caminhoneiros também sofrem muito, enfim é uma cadeia toda que sofre com essa dificuldade, que nós temos até hoje no Mato Grosso e no município de Juara por ser extenso, temos essa dificuldade das estradas.  Realmente não era mais para estar passando por isso com a produção que o Mato Grosso, hoje tem, eu acredito que nós já merecíamos, o produtor rural, tanto o agricultor como pecuarista e ter estradas melhores.

O Senhor acredita, que mesmo com a chegada intensa da agricultura, o município de Juara tem potencial na pecuária para manter as indústrias frigoríficas, aqui da região?

Resp: com certeza, aqui tem uma região que ela vai continuar na pecuária. São áreas um pouco mais quebrada, mais ondulada, tem regiões aqui, que a agricultura já não vai conseguir entrar. Como o município é muito grande ele tem para todo mundo, inclusive a agricultura vindo, é muito bom que nem veio, e trouxe o milho para perto da pecuária. Para você hoje fazer acabamento em boi e fazer tudo, só depende de milho, de soja e aí chegou o milho aqui para nós temos milho perto de nós, para nós produzir mais rápido e uma carne, cada vez melhor que é o que o mercado quer, o mercado interno quer essa carne macia precoce do boi novo e o mercado externo já faz anos que tá atrás desse produto.

 

Abaixo vídeo Institucional da Prefeitura de Juara sobre a produção do milho 

 

Produção e edição: ASCOM/Anderson Reis

Fonte: Rádio Tucunaré e Acesse Notícias

Com muito ❤ por go7.site