Estado do Rio tem queda nos óbitos e internações por SRAG

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Comércio na SAARA (Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega), centro da cidade. Comércio não essencial está autorizado a reabrir a partir de hoje (9) na cidade do Rio de Janeiro depois de duas semanas fechados devido à pandemia de Covid-19.

O estado do Rio de Janeiro teve redução de 27% nas internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e de 13% no número de óbitos provocados pela doença, segundo dados do 47º Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (10) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Com todos os indicadores em queda, o estado permanece, pela segunda semana consecutiva, com risco baixo de transmissão (bandeira amarela). 

A região metropolitana l, onde está concentrada a maior parte da população e das unidades de Saúde da rede do Sistema Único de Saúde (SUS), retornou ao risco moderado (bandeira laranja) após cinco edições do levantamento. A análise compara as semanas epidemiológicas 34 (de 22 agosto a 28 de agosto) e 32 (08 agosto a 14 de agosto) de 2021.

“Nós creditamos este resultado positivo a, principalmente, dois fatores. O primeiro é o avanço da vacinação. O estado do Rio de Janeiro tem mais de 80% de toda população com a primeira dose aplicada e 40% com o esquema vacinal completo. O outro ponto a ser considerado é o monitoramento da pandemia através de pesquisas, sequenciamentos e levantamentos, que fazemos rotineiramente. Os indicadores apontam evolução geral”, disse o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe.

As taxas de ocupação de leitos no estado do Rio de Janeiro também tiveram redução. A de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) está em 65% e a de enfermaria em 43%.

Das nove regiões do estado, cinco estão em bandeira amarela: metropolitana II, norte, baixada litorânea, centro-sul e médio paraíba. Mais quatro estão na classificação laranja: metropolitana l, serrana, noroeste e Baía da Ilha Grande.

Cada bandeira representa um nível de risco, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.

Fonte: Agencia Brasil

Mais recentes

Juju Salimeni interagiu com os seguidores novamente na última quinta-feira, e através da caixinha de perguntas no Instagram, abriu o coração ao ter sido questionada sobre o fato de não querer ter filhos. Na ocasião, um internauta citou papo de maternidade, e a musa fitness justificou a decisão. “O povo adora julgar, mas não quer saber a visão de cada um. Não é uma decisão eterna, pode ser que mude algum dia. Nunca tive esse sonho. Não sinto vontade de ser responsável por outra vida”, iniciou ela, que recentemente terminou o namoro com o empresário Helisson Dias. “Tenho desejos e planos que não quero abrir mão e como mãe teria que fazê-lo. Ser mãe é um compromisso eterno que não me sinto apta a assumir. Não tem nada a ver com corpo, porque sei que sou capaz de voltar a forma totalmente. Simplesmente não tenho vontade e isso é normal”, concluiu Juju Salimeni.

Siga-nos

Com muito ❤ por go7.site