Exame pericial aponta que jovem morto por afogamento no Rio Arinos em Juara não tinha sinais de violências

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O médico perito de Juara, Dr. José Carlos Braga Netto que periciou o corpo do jovem, Moderth Duarte Macanhan de 23 anos de idade morreu por afogamento nas águas do Rio Arinos, explica que no corpo não tinha sinais de violências, o que aponta que não houve assassinato.

A morte ocorreu, porque realmente a vítima pode ter se desiquilibrado quando caiu na agua, e como estava com as mãos cheia de areia, o legista acredita que como o local do afogamento é muito fundo, ele tenha ainda com vida, tentado se agarrar na areai buscando salvação.

Ainda de acordo com o perito, não foi necessário abrir parte do corpo da vítima para periciar, uma vez que ficou claro, tanto pelos relatos das testemunhas no boletim de ocorrência, quanto pelo exame, que não houve espancamento, ou seja, ele não foi jogado no rio, visto que os detalhes da pericia deixou isso bem claro.

Conforme o perito, o exame indica que o jovem teria ingerido bebida alcoólica antes do acontecido.

O caso:

Conforme noticiado, Moderth Duarte Macanhan de 23 anos de idade estava tomando banho nas aguas do Rio Arinos, embaixo da ponte na companhia de alguns amigos, quando pulou na água para o último mergulho e desapareceu na tarde de domingo, dia 10 de janeiro de 2021.

Os mergulhadores da 14ª Companhia do corpo de bombeiros de Juina chegou em Juara por volta das 06:00h da manhã desta segunda-feira, dia  11 de janeiro, e com poucas horas de mergulho conseguiu encontrar o corpo do jovem, que já estava sem vida.

Ouça na íntegra a entrevista do médico perito sobre o assunto:

Fonte: radiotucunare/acessenoticias