Japão prorroga emergência da covid-19 em Tóquio e outras áreas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Trabalhadores médicos que usam equipamento de proteção individual (EPI) trabalham na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com doença de coronavírus (COVID-19) no Hospital da Universidade Médica de St. Marianna em Kawasaki

O Japão prorrogou nesta quinta-feira as restrições de emergência da covid-19 em Tóquio e em outras regiões até o final deste mês para conter as infecções e evitar que os hospitais fiquem sobrecarregados.

Ao anunciar a prorrogação, ratificada mais cedo por uma comissão de aconselhamento, o primeiro-ministro Yoshihide Suga disse que ela é necessária para escorar um sistema médico ainda pressionado por casos graves, embora as infecções novas estejam diminuindo e as vacinações aumentando.

“A inoculação de todos aqueles que desejam ser vacinados será finalizada em outubro ou novembro”, disse Suga a repórteres. “E a partir de então, poderemos amenizar as restrições usando provas de vacinação ou resultados de exames.”

O Japão sofre com uma quinta onda do vírus, e no mês passado prorrogou suas restrições já duradouras até 12 de setembro para cobrir cerca de 80% de sua população.

O número de casos graves e a pressão sobre o sistema médico não diminuíram o suficiente em Tóquio e em áreas vizinhas para permitir que as restrições sejam suspensas. Agora as medidas vigorarão até 30 de setembro e incluirão Osaka, no oeste do país.

As restrições de emergência japonesas se concentram em pedir aos restaurantes que fechem cedo e evitem servir álcool. Os moradores estão sendo incentivados a trabalharem em casa tanto quanto possível e a não viajarem.

Alguns sinais de melhoria no país levarão dois de 21 municípios a substituir as medidas do estado de emergência por restrições mais direcionadas, e vários outros municípios descartarão todas as restrições.

“Acredito que estamos começando a ver resultados, mas ainda é cedo demais para abaixarmos a guarda”, disse o ministro da Saúde, Norihisa Tamura.

O jornal Nikkei noticiou que o governo está inclinado a suavizar as restrições de entradas internacionais reduzindo os tempos de quarentena de viajantes vacinados. A medida foi pedida pelo Keidanren, o principal lobby comercial japonês, e por câmaras de comércio estrangeiras.

“Acolhemos qualquer proposta para reabrir as fronteiras do Japão às viagens de negócios como parte de uma abordagem científica à preservação da saúde pública”, disse Christopher La Fleur, conselheiro especial da Câmara de Comércio Americana no Japão.

As autoridades estão cogitando planos que recompensariam negócios que mantêm os atuais controles de infecção, como limites de tráfego de pedestres, ou incentivam verificações de vacinação e situação de exames em suas dependências.

Fonte: Agência Brasil

Mais recentes

Juju Salimeni interagiu com os seguidores novamente na última quinta-feira, e através da caixinha de perguntas no Instagram, abriu o coração ao ter sido questionada sobre o fato de não querer ter filhos. Na ocasião, um internauta citou papo de maternidade, e a musa fitness justificou a decisão. “O povo adora julgar, mas não quer saber a visão de cada um. Não é uma decisão eterna, pode ser que mude algum dia. Nunca tive esse sonho. Não sinto vontade de ser responsável por outra vida”, iniciou ela, que recentemente terminou o namoro com o empresário Helisson Dias. “Tenho desejos e planos que não quero abrir mão e como mãe teria que fazê-lo. Ser mãe é um compromisso eterno que não me sinto apta a assumir. Não tem nada a ver com corpo, porque sei que sou capaz de voltar a forma totalmente. Simplesmente não tenho vontade e isso é normal”, concluiu Juju Salimeni.

Siga-nos

Com muito ❤ por go7.site