Milho abre o último dia da semana levemente recuado na B3

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A sexta-feira (05) começa com os preços futuros do milho levemente mais baixos na Bolsa Brasileira (B3), com as principais cotações estendendo os recuos por volta das 09h23 (horário de Brasília).

O vencimento novembro/21 era cotado à R$ 87,84 com desvalorização de 0,89%, o janeiro/22 valia R$ 88,10 com perda de 0,78%, o março/22 era negociado por R$ 88,25 com queda de 0,80% e o maio/22 tinha valor de R$ 83,94 com baixa de 0,43%.

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o valor de exportação está pressionado um pouco para baixo devido as movimentações de Chicago, girando entre R$ 87,00 e R$ 88,00 hoje nos portos, e isso acaba se refletindo na B3.

“O mercado está acomodado e mais de olho nos novos negócios que devem surgir nos próximos dias na exportação para não sobrar muito milho nos armazéns. Muitos armazenadores estão pedindo aos produtores para vender o milho que está lá parado ou tirar o milho para liberar os armazéns para manutenção e limpeza antes de receber a soja”, pontua.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) também começou o último dia da semana levemente mais baixa para os preços internacionais do milho futuro, que operavam próximos da estabilidade por volta das 09h10 (horário de Brasília).

O vencimento dezembro/21 era cotado à US$ 5,58 com queda de 1,00 ponto, o março/22 valia US$ 5,66 com perda de 1,00 ponto, maio/22 era negociado por US$ 5,71 com baixa de 1,00 ponto e o julho/22 tinha valor de US$ 5,73 com estabilidade.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, o milho pouco mudou antes do relatório da próxima semana sobre a oferta agrícola mundial e estimativas de demanda (WASDE) do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Os analistas esperam que o USDA aumente suas perspectivas para a produção de soja e milho em relação às previsões do mês anterior, de acordo com uma pesquisa da Reuters.

Fonte: Notícias Agrícolas

Com muito ❤ por go7.site