Mulher diz ter sido chamada de “negra macumbeira” em empresa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Uma mulher de 41 anos fez uma denúncia à Polícia Militar nesta quarta-feira (22) por sofrer racismo e intolerância religiosa dentro da empresa onde trabalhava, no Bairro Cohab São Gonçalo, em Cuiabá.

Conforme o boletim de ocorrência, a vítima relatou que foi chamada de “negra e macumbeira”. Além disso, ela afirmou que foi demitida apenas por ter raspado o cabelo em sua iniciação na Umbanda.

O suposto crime ocorreu no dia 8 de setembro, quando a mulher foi trabalhar com touca na cabeça para não notarem a falta de cabelo.

No entanto, ao ir ao banheiro foi seguida pela supervisora que, ao vê-la sem a touca, questionou se ela estava câncer. Ao receber a resposta negativa, a mulher apenas saiu e foi direto para o escritório.

Nove dias mais tarde, a vítima foi chamada na sala de outra supervisora e precisou esperar cerca de duas horas para ser atendida.

No local, a supervisora teria mandado a trabalhadora tirar a touca e, segundo relatos da vítima, disse com reprovação de que “esse tipo de religião não cabia na empresa”. Ainda teria afirmado que a vítima “além de ser negra era macumbeira”.

A mulher teria dito ainda que a vítima deveria procurar Deus para se salvar. Consta no boletim também que a supervisora disse à trabalhadora que “pessoa da sua cor e macumbeira não pode participar do quadro de funcionário da empresa. Não adianta procurar a justiça, pois não dá em nada, já que a empresa possui vários processos e nunca perdemos”.

Ainda conforme a acusação, após o episódio, a supervisora a fez assinar o aviso prévio com data retroativa de 11/09/2020 e exigiu que ela cumprisse o aviso dentro do escritório, porque não queria que ninguém a visse careca e para evitar comentários.

Aos policias, a vítima contou que o abalo emocional era enorme diante da falta de respeito, do racismo e da intolerância religiosa das representantes da empresa.

Ela ainda afirma que todos os colegas de trabalho souberam antes dela sobre sua demissão e o que a motivou.

O caso foi registrado na delegacia de Cuiabá e será investigado pela Polícia.

Fonte: midianews

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️