Policiais penais são acusados bebedeira, tortura e sexo na cadeia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O promotor Guilherme Ignácio De Oliveira, da 4ª Promotoria de Justiça Cível de Sinop, instaurou um procedimento preparatório de inquérito civil para investigar a prática de tortura contra presos na Penitenciaria Osvaldo Florentino. Os crimes estariam sendo cometido por alguns policiais penais da unidade e teriam ocorrido em janeiro de 2020.

A portaria foi assinada na última terça-feira (2).

Além de tortura, o MP determinou a diretoria da penitenciária para informar se foram instaurados inquéritos para apurar se os agentes estavam indo trabalhar embriagados e prática de sexo no local. Não foi informado com quem eles estariam praticando sexo. A diretoria tem prazo de 20 dias para comunicar o Ministério Público.

Informe se foram instaurados procedimentos administrativos disciplinares concernentes aos fatos relatados na denúncia (trabalhar embriagado, tortura, relações sexuais no trabalho e outros), principalmente em face dos agentes penitenciários P.C.Z. e M.S.R.. Em caso positivo, encaminhar os documentos que comprovem as suas alegações”, diz o documento.

A denúncia foi realizada pela Defensoria Pública do município após receber uma carta de detentos relatando as agressões. A carta, segundo o MP, possui assinatura de mais de 100 presos.

Fonte: ReporterMT

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️