Preço do seguro para frete no agronegócio pode cair com uso de biometria facial

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

O transporte de grãos, sementes e toda a produção do agronegócio brasileiro tradicionalmente oferece um desafio para o segmento de seguros. Entre eles, um dos que mais se destaca é a  falsidade ideológica , que é quando um golpista se passa por motorista profissional para conquistar o frete e assim que tem a carga carregada em seu caminhão desaparece deixando um rastro de prejuízo.

A dificuldade de coibir este tipo de prática obriga as seguradoras a correrem riscos maiores e, consequentemente repassarem este fator para seus preços. Felizmente a tecnologia já oferece uma solução para este problema que é a biometria facial. Com ela, os especialistas afirmam que é possível diminuir as alíquotas praticadas neste tipo de operação.

Segundo a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC), o Brasil teve 18.382 roubos de cargas em 2019, gerando perdas de R$1,4 bilhão. De acordo com o último levantamento da Secretaria Nacional de Segurança Pública, esse tipo de crime acontece, em média, 55 vezes todos os dias no país. A região Sudeste é a mais afetada, com 84,26% do total. Entre os segmentos mais prejudicados está o agronegócio.

Uma das seguradoras que começaram a enfrentar a falsidade ideológica com o apoio tecnológico é a NVZ Seguros. A empresa fechou uma parceria com a CredDefense, uma das maiores plataformas de biometria facial do Brasil, e afirma ter conseguido reduzir em 100% a ocorrência deste tipo de delito nos fretes. “Com isso, a NVZ seguros está conseguindo reduzir ainda mais as taxas para os clientes e trabalhar de uma forma mais assertiva e justa”, diz o diretor da NZV, José Antunes Valgas.

Ele explica que hoje em dia é muito comum as empresas contratarem o transporte por aplicativos de bolsa frete ou agenciadores de cargas. Nestes casos, o motorista manda a documentação dele e do veículo via WhatsApp, por exemplo, e o nível de pesquisa que o mercado utiliza para averiguar esta documentação ainda é muito falho.

Com a tecnologia da CredDefense, a NVZ está controlando a identidade de 6.645 motoristas em 150 diferentes transportadoras, totalizando um volume de carga de quase US$ 1 bilhão até agora.

A solução da CredDefense opera pelo smartphone dos caminhoneiros, sem necessidade de instalação de nenhum aplicativo. O motorista recebe um SMS ou mensagem via Whatsapp e através de etapas customizadas pode fazer a captura de biometria e checagem de diversos documentos de forma que fique comprovado sem margem de dúvidas que ele é quem diz ser.

Fonte: Compliance Comunicação

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️