Síndrome da queimação nos pés: o que é e por que acontece?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Você sente um formigamento incômodo nos pés à noite? Se, além disso, você sentir queimação, pode ter a síndrome de Grierson-Gopalan. Saiba mais detalhes a seguir.

A síndrome de Grierson-Gopalan, ou síndrome da queimação nos pés, é uma tortura noturna. Ela envolve um formigamento e uma queimação que chegam até aos tornozelos, como se estivéssemos caminhando sobre uma superfície em brasas… Essa alteração pode se tornar exasperante para quem a sofre dia após dia.

Essa condição pode nos lembrar um pouco de outro distúrbio que também aparece à noite e que, de alguma forma, limita muito a qualidade de vida. Estamos falando sobre a síndrome das pernas inquietas. Embora seja verdade que ambas as doenças teriam uma origem neuropática, há pequenos aspectos que as diferenciam.

Sabemos, por exemplo, que a síndrome da queimação nos pés é mais comum em mulheres e que às vezes é um sintoma comum em pacientes com diabetes. Também é um incômodo que os ciclistas podem enfrentar.

São pequenas nuances que fazem dessa síndrome uma realidade muito particular. Hoje, daremos mais informações sobre este tipo de alteração.

Queimação nos pés

Síndrome da queimação nos pés: sintomas, causas e tratamento

A síndrome da queimação nos pés pode aparecer esporadicamente. Ou seja, haverá momentos em que esse desconforto será mais intenso e outros em que simplesmente desaparecerá. Apesar disso, existe uma grande variabilidade nos sintomas porque são muitas as causas que podem originá-los.

Portanto, é importante observar que essa condição raramente aparece sozinha. Em geral, ocorre com outros problemas, como alterações da tireoide, dores nas articulações, fraqueza generalizada… Porém, é comum ir ao médico por causa desse problema, devido ao seu desconforto e ao impacto que ele gera no descanso noturno.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma é a queimação; a sensação de queimação que sobe da planta dos pés até a panturrilha. Muitas pessoas são até forçadas a submergir os pés em água fria para sentir algum alívio.

Quais são as causas da síndrome da queimação nos pés?

Estudos como o realizado no departamento de Neurologia da Universidade de Münster (Alemanha) indicam algo interessante. Sabemos que a síndrome da queimação nos pés é um traço autossômico, ou seja, é hereditária. Se alguém em nossa família sofre com ela, também corremos o risco de desenvolvê-la.

  • Na maioria dos casos, a origem dessa síndrome é a neuropatia, ou seja, é decorrente de uma alteração de pequenas fibras nervosas. Como consequência, elas funcionam enviando sinais de dor para os pés. É uma condição que vai e vem e afeta mais as mulheres.
  • Outro gatilho é um déficit de vitamina B12. A falta desse elemento leva a problemas no sistema nervoso. Os primeiros sintomas são uma sensação de formigamento e queimação nos braços e nas pernas.
  • A metatarsalgia ou compressão dos nervos metatarsais nos pés é outra causa. Nesse caso, é uma alteração comum em ciclistas.
  • Distúrbios da tireoide. A síndrome da queimação nos pés geralmente é um sintoma comum em pessoas com hipotireoidismo.
  • Deficiência na absorção nutricional. No caso de a pessoa sofrer de algum problema intestinal ou de alcoolismo, essa condição aparecerá.
  • Diabetes Mellitus. As diabetes tipo 1 e 2 podem afetar os nervos periféricos do corpo e, especificamente, os dos pés e das pernas. A origem estaria no nível elevado de glicose e em como isso altera tanto a transmissão de sinais entre os nervos quanto a resistência dos vasos sanguíneos.

Como é diagnosticado?

Como podemos ver, a síndrome da queimação nos pés pode ter vários gatilhos. Como é feito o diagnóstico? Como podemos saber qual é a origem desta condição? Em média, os seguintes testes de diagnóstico são realizados.

  • Exame físico. O médico vai explorar a área afetada para descobrir se há inchaço, algum problema nas articulações, algum tipo de reação alérgica, etc.
  • Um exame de sangue. Necessário para medir o nível de glicose, possíveis déficits de vitamina B12, problemas com a tireoide, etc.
  • Testes de função nervosa, como um eletromiograma, também podem ser solicitados. Com ele, a atividade elétrica dos nossos músculos é medida.
Calcanhar ardente

Quais tratamentos existem?

A intervenção associada à síndrome da queimação nos pés sempre dependerá do gatilho que desencadeia essa condição médica. No entanto, existem algumas diretrizes básicas que podem ser úteis em muitos casos, embora elas devam ser recomendadas pelo seu médico.

Para concluir, o mais adequado em todos os casos é ter sempre um diagnóstico correto. Antes de recorrer a qualquer remédio, consulte sempre o especialista que acompanha o caso.

Fonte: https://amenteemaravilhosa.com.br/

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️