Terá início, o projeto que auxilia etnia Kayabi em Juara a produzir artesanatos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

A partir do dia 23 de fevereiro de 2021,  o diretor do Museu de Artes do Vale do Arinos, José Guilherme Araújo Filho, que teve aprovação de seu projeto, cuja finalidade visa mostrar a Arte KAWAIWETE, produção e resgate do artesanato indígena, passará a visitar  a comunidade indígena kaiabi para colocar em prática as ações do projeto.

Conforme noticiamos anteriormente, esse projeto foi aprovado através de pessoa física no nome do próprio diretor do museu.

Contemplação do Projeto:

A contemplação do projeto se deu por meio do edital do MT Nascentes que é uma parceria entre a Secretaria de Estado Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso com o Governo Federal através da Lei Aldir Blanc. O valor aprovado para o projeto foi de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).

José Guilherme Araújo Filho explica que o projeto foi elaborado com foco em somente uma etnia indígena que é o povo KAWAIWETE, popularmente conhecidos em Juara como Kayabi que são da aldeia Tatuí.

Para isso, o projeto será desenvolvido em três etapas, sendo a primeira a realização do contato com a comunidade indígena contemplada e convidar as pessoas interessadas em participarem do projeto. A segunda etapa acontecerá a formação dentro da terra indígena no sentido de orientar no processo de produção do artesanato de forma consciente e também fazer a formação no sentido de resgatar a cultura e ensinar a manter a preservação do artesanato.

Terceira etapa:

Na terceira e última etapa acontecerá a vinculação da proposta tanto na terra indígena Apiacá e Kayabi, em Juara e depois na aldeia do Xingu que é atualmente um dos maiores territórios indígenas no Brasil.

O diretor do museu revelou que existe muita burocracia para se conseguir recurso para esse tipo de projeto, uma vez que demanda uma dedicação exclusiva para a elaboração. Ele ressaltou que uma equipe sempre o ajuda, principalmente o professor Saulo e a professora Rosália.

“Nós entendemos a necessidade e a importância da população indígena e do fomento dessa cultura no município local, tendo em visa que as comunidades também geram renda em Juara e também precisam de um momento para preservar e manter a sua cultura”, pontuou José Guilherme.

Os próximos passos se darão com o início da visita a aldeia Kayabi, onde será feito o contato com os povos indígenas e com isso selecionar os indígenas que irão produzir o artesanato e os que colaborarão no projeto. Por fim, será feita a visita na aldeia do Xingu, que segundo o diretor do Museu, é um local mais difícil de se ter acesso.

Todos os envolvidos no projeto estão com cautela devido a pandemia do Covid-19, nesse sentido, todos estão seguindo os protocolos de prevenção e respeitando os decretos de cada local.

Fonte: radiotucunare/acessenoticias

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️