Vacina da Pfizer pode evitar transmissão do vírus, diz estudo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Pesquisadores do Sheba Medical Center, em Israel, apresentaram nesta quarta-feira (20) resultados de um estudo com 102 pessoas que haviam recebido as duas doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 e com uma perspectiva até então nunca relatada.

Segundo o grupo de cientistas, o imunizante pode produzir uma resposta imunológica tão forte a ponto de impedir a transmissão do coronavírus entre indivíduos.

O estudo ainda não foi publicado e não há evidências mais robustas em relação à capacidade da vacina em reduzir a transmissibilidade. Por esta razão, as medidas de distanciamento físico e uso de máscara ainda são exigidas.

A professora que conduziu a pesquisa, Gili Regev-Yochay, salientou, no entanto, que os achados foram “encorajadores e razoáveis ​​para assumir que essas pessoas não serão portadoras [do coronavírus] ou contagiosas, embora isso ainda não seja uma conclusão direta”, de acordo com o site International Business Times.

Ela argumentou que, com base nos níveis de anticorpos identificados nas pessoas vacinadas, seriam suficientes evitar até mesmo que o coronavírus se replicasse no organismo das pessoas que viessem a ser expostas.

Os pacientes chegaram a desenvolver 20 vezes mais anticorpos contra o coronavírus após a segunda dose da vacina. Mas dois deles não produziram defesa — um paciente imunocomprometido e outro que está sendo investigado.

As vacinas contra covid-19 foram desenvolvidas com o propósito inicial de reduzir o maior percentual possível de casos graves de covid-19 e, consequentemente, mortes.

Desta forma, cientistas e laboratórios afirmam que é possível que indivíduos vacinados cheguem a contrair o coronavírus e fiquem com ele no corpo por algum tempo, podendo transmiti-lo.

A capacidade da vacina em quebrar as cadeias de transmissão do SARS-CoV-2 só poderá ser observada quando houver uma grande população vacinada.

Especialistas estimam que o primeiro país onde será possível ter uma percepção disso deve ser Israel, onde quase 30% dos 9 milhões de habitantes já receberam a vacina. É o maior percentual de pessoas imunizadas no mundo.

Fonte: R7

Com muito ❤️️ por GO7.SITE

⚙️